Arquivo

domingo, 11 de março de 2012

LEÓN DENIS SOBRE OS ANJOS DA GUARDA

   Todos temos um desses gênios tutelares que nos inspira nas horas difíceis e nos dirige pelo bom caminho.
   Daí a poética tradição cristã do Anjo da Guarda.
   Não há concepção mais grata e consoladora.
   Saber que temos um amigo fiel e sempre disposto a nos socorrer, de perto como de longe, nos influenciando a grandes distâncias ou se conservando junto de nós nas provações; saber que ele nos aconselha por intuição e nos aquece com seu amor, eis uma fonte inapreciável de força moral.
   O pensamento de que testemunhas benévolas e invisíveis vêem todos os nossos atos, regozijando-se ou entristecendo-se, deve inspirar-nos mais sabedoria e circunspeção.
   É por essa proteção oculta que se fortificam os laços de solidariedade que ligam o mundo celeste à Terra, o Espírito livre ao homem, Espírito prisioneiro da carne.
   É por essa assistência contínua que se criam, de um a outro lado, as simpatias profundas, as amizades duradouras e desinteressadas.
   O amor que anima o espírito elevado vai pouco a pouco se estendendo a todos os seres sem cessar, revertendo tudo para Deus, pais das almas, foco de todas as potências efetivas.

León Denis
Do livro "Depois da Morte”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...